Fachadas de prédios empresariais e de estabelecimentos comerciais são como um cartão de visitas da empresa. A aparência externa acaba refletindo na opinião das pessoas a respeito do empreendimento. Isso significa que manter as fachadas limpas não é um mero capricho, mas uma obrigação.

Dado esse contexto, quando se fala em serviço de limpeza empresarial, automaticamente somos remetidos a aspectos como: a contratação de empresas especializadas que contam com uma equipe de profissionais qualificados e experientes, além do uso de equipamentos e produtos de limpeza da mais alta qualidade.

No artigo de hoje mostraremos as melhores práticas e procedimentos que você precisa adotar para realizar uma limpeza de fachadas eficiente, garantindo a segurança dos trabalhadores envolvidos e ótimos resultados.

Continue a leitura do conteúdo para conferir!

O que considerar na limpeza de fachadas?

Em primeiro lugar, é preciso ter em mente que esse é um tipo de serviço que exige mão de obra altamente qualificada e equipamentos profissionais. Portanto, é imprescindível contar com o auxílio de uma companhia especializada, já que ela estará apta a analisar sua necessidade e proporcionar uma solução eficiente e econômica.

Antes de iniciar o serviço de limpeza, é preciso definir quais materiais serão utilizados, qual a técnica mais adequada de acordo com o tipo do estabelecimento e suas particularidades, além de alguns fatores como:

  • grau de sujidade da fachada;
  • altura do prédio;
  • tipo de revestimento da construção (pastilha, vidro, textura, cerâmica, etc.);
  • acessibilidade.

É comum que a lavagem seja realizada com escovas, brochas, produtos de limpeza e técnicas específicas, como o hidrojateamento. Por exemplo, em uma fachada de vidro, pode ser necessário, ainda, efetuar o acabamento de secagem com rodos.

Quais os tipos de serviço de limpeza de fachadas?

Cada edifício pode demandar necessidades de limpeza diferentes. Por isso, as empresas que realizam limpeza de fachadas contam com uma vasta de gama de serviços, visando atender todo o mercado.

Dentre os principais serviços de limpeza, podemos citar:

  • lavagem de granito e mármore;
  • limpeza de vidros;
  • limpeza e recomposição da cerâmica;
  • polimento de caixilhos de alumínio;
  • pintura e textura de fachadas e de interiores;
  • tratamento do tijolo aparente.

Quando se trata da limpeza de vidros, por exemplo, é recomendado que ela seja realizada a cada três meses, para que a integridade e a estética seja mantida.​ Para revestimentos como cerâmica, pintura, pastilhas e tijolo, o intervalo de tempo é um pouco mais longo, de dois a cinco anos.

Como escolher os produtos de limpeza?

Cada etapa da limpeza é minuciosamente planejada, inclusive o momento da escolha dos produtos que serão utilizados em todo o processo. Devem ser considerados o grau de sujeira e tipo de revestimento, como dissemos anteriormente. A ideia é proporcionar o melhor resultado sem que a superfície seja danificada.

Na lavagem de fachadas, é muito comum que as empresas especializadas utilizem produtos biodegradáveis, pois ajudam a preservar o meio ambiente, além de produtos de alta qualidade, para garantir uma higienização profissional e a impermeabilidade da fachada. Isso torna as limpezas posteriores muito mais simples e garante a satisfação do cliente.

Vale ressaltar, ainda, que o aspecto estético é altamente relevante e, assim como a embalagem de um produto ou a composição de uma vitrine, a parte externa do prédio deve receber cuidados específicos.

Quando bem preservada e limpa periodicamente, a fachada é capaz de agregar valor à empresa, contribuindo com o bem-estar dos trabalhadores e clientes. Lembrando que o cloro deve ser evitado, já que contém soda e pode danificar as superfícies.

E quanto às máquinas e equipamentos?

Esta é uma etapa muito importante em todo o processo, pois as máquinas utilizadas na limpeza de fachadas são capazes de tornar o serviço muito mais prático, econômico e produtivo.

Máquinas de hidrojateamento de alta pressão, por exemplo, facilitam a remoção da sujeira em edifícios com acabamento de concreto, azulejos e tijolos. Além de tornar o procedimento muito mais rápido, geram uma economia de cerca de 80%, quando comparadas às mangueiras tradicionais. 

No entanto, não são apenas máquinas que devem ser cotadas no planejamento; é preciso fazer um levantamento a respeito de recursos e dispositivos que são indispensáveis em todo o processo. Estamos nos referindo aos EPIs básicos como: capacete, macacão especializado, luvas, botas e óculos de segurança.​

Ainda que os funcionários utilizem máquinas como o High Pure — já que esse equipamento é a melhor alternativa, por ser capaz de fazer a limpeza de fachadas sem que seja necessário que o trabalhador sequer saia da segurança de estar no chão —, a exposição ao sol, fios elétricos, entre outros, podem colocar sua integridade em risco.

Como analisar as questões de segurança em relação à altura?

Finalmente, um dos fatores com maior influência na limpeza: a altura do edifício. É ela que define qual será a técnica utilizada e, consequentemente, o orçamento do projeto.

Para um prédio com até vinte metros de altura, por exemplo, existem meios para que o profissional realize o serviço em solo, por meio de cabos extensores com escovas acopladas na ponta como o High Pure. Já nos prédios com altura superior, o uso de equipamentos de rapel ou andaimes pode ser necessário. A escolha da técnica depende, exclusivamente, da acessibilidade à construção, já que muitas vezes não é possível realizar a instalação de andaimes.

Lembrando que, no último caso, a empresa precisa contar com uma autorização específica para executar esse tipo de serviço, além de cumprir com todas as exigências da Norma Regulamentadora n° 35 (pertinente ao trabalho em altura).

Entre as especificações da norma, está o uso de EPIs e a delimitação da área em que o serviço será realizado.

Qual a periodicidade da limpeza das fachadas?

Para finalizarmos o nosso artigo sobre limpeza de fachadas, é importante citar a relevância do fator tempo em todo o processo.

A periodicidade da limpeza pode depender do tipo do ambiente em que o prédio está construído e o seu revestimento ou, ainda, se há muito poluição no local. Nesse caso, a lavagem precisa ser realizada com mais frequência.

No entanto, o consenso comum entre os especialistas da área é de que a fachada de um edifício comum deve ser limpa a cada quatro anos.

Agora que você já conhece melhores práticas e procedimentos para limpeza de fachadas, compartilhe este conteúdo com os seus amigos e familiares nas redes sociais! Estamos no Facebook, YouTube e LinkedIn!